Do livro sobre livros "Futuro Pristino".

Conheça o programa das oficinas e cursos gratuitos da feira e-cêntrica

A feira e-cêntrica recebe inscrições para cursos e oficinas gratuitas até a segunda-feira (22/1). As atividades contemplam a cadeia produtiva gráfica e literária de ponta a ponta, ou seja, estímulo à leitura, produção criativa, qualificação profissional, circulação da obra. Realizado em Goiânia, pela Nega Lilu Editora e pela Casa da Cultura Digital, o vento será realizado nos dias 3 e 4 de fevereiro, na Vila Cultural Cora Coralina, logo atrás do Teatro Goiânia. Apoio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia. Veja abaixo a ementa das atividades e inscreva-se sem demora:

 

Oficina literária para jovens: estímulos para leitura e escrita criativa, com Micheline Lage (GO) – 3 fev 2018 (sáb) – 9h às 12h. Vagas: 25

Inscrição AQUI até 22/1.

A atividade busca despertar e fortalecer o interesse pela leitura e pela escrita criativa a partir de linguagens artísticas diversas, como a música, as fotografia.

Ementa:

– Leitura e vida: a palavra poética como ato de criação e resistência;

– A relação literatura e outras manifestações artísticas (música popular brasileira, fotografia, grafitte). Proposta de escrita criativa ao término da oficina;

– Socialização dos resultados.

 

Micheline Lage é professora de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira há 20 anos, pesquisadora em literatura e ensino, formação de leitor, formação de professores de Letras. Além de artigos acadêmico-científicas, também publicou os livros Ler sem doer: perspectivas para a leitura do texto literário no ensino médio (para professores), Leitura em Braile (poesia), O mundo novo da Luluca (literatura infantil).

 

 

Oficina de zine, com Beatriz Perini (GO) – 3 fev 2018 (sáb) – 9h às 12h. Vagas: 20

Inscrição AQUI até 22/1.

A autopublicação é a essência da Oficina de zine. Para além da produção de conteúdo gráfico e literário, a atividade apresenta maneiras criativas e autônomas de difusão de ideias. Os zines são os antigos fanzines, publicações produzidas com baixo custo, pequena tiragem e grande potencial de comunicação.

Ementa:

– o que são zines

– origem e um pouco de história

– referências visuais

– divisão de temas e criação de zines

 

Beatriz Perini rabisca, queima uns filmes e se descobriu na criação de zines e publicações independentes. É artista visual e designer gráfico e já ministrou oficinas por todo o Brasil e em Portugal.

 

 

 

 

Laboratório Poético, com Angélica Freitas (RS) – 3 e 4 fev 2018 – 14h às 17h. Vagas: 20

Inscrição AQUI até 22/1.

A proposta deste laboratório é compartilhar estratégias para criar um espaço de experimentação, com prática de escrita. Nas palavras de Angélica Freitas: “poesia é uma coisa meio misteriosa: a gente nunca sabe quando vai escrever um poema. Um verso pode aparecer no meio do trânsito, numa reunião de trabalho, quando estamos tomando um sorvete na praia. Capturar esse verso e dar continuidade ao poema é uma das tarefas de poetas”.

Ementa:

– A importância dos materiais de escrita

– Estratégias para criar um espaço de experimentação

– Prática de escrita: exercícios para desenvolvê-la

– Criador(a) x Editor(a): reescrever e editar poemas

– Projetos literários: os poemas que precisamos escrever

 

Angélica Freitas é poeta, tradutora e jornalista. Publicou os livros Um útero é do tamanho de um punho (Cosac Naify, 2012/Cia. das Letras, 2017) e Rilke Shake (7 Letras/Cosac Naify, 2007), e a graphic novel Guadalupe (Cia das Letras, 2012).  Entre os prêmios e distinções que recebeu estão o Best Translated Book Award 2016 (por Rilke Shake, traduzido por Hilary Kaplan, EUA, 2016), Melhor livro de poesia de 2012 (Um útero é do tamanho de um punho, Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA) e uma bolsa do Programa Petrobras Cultural para a escritura de um livro (2010).

 

 

Curso Projeto Editorial, com João Varella (SP) – 3 e 4 fev 2018 – 14h às 17h. Vagas: 20

Inscrição AQUI até 22/1.

Para editoras e para pessoas interessadas em publicar livros. A partir de sua experiência, o escritor e editor João Varella compartilha conhecimentos sobre o processo de criação do livro: desde a avaliação de originais até o acompanhamento da produção gráfica, discutindo inclusive os desafios de circulação.

Ementa:

– Introdução sobre o livro

– O processo de criação do livro: do autor à produção gráfica

– Metodologia e melhores práticas

– Peculiaridades dos gêneros

– Editores históricos

– Avaliação de originais

– ISBN, ficha catalográfica e outros elementos básicos de um livro

– Breve introdução ao projeto gráfico

– Os custos de um livro

– Definição de tiragem

– relações com o autor e com as livrarias

– Como fazer o livro circular?

 

João Varella é editor e fundador da editora Lote 42 e do comércio de publicações independentes Banca Tatuí. Atua como professor de editoração em entidades como Sesc, ABER (Associação Brasileira de Encadernação e Restauro) e Galeria Hipotética, além de eventos como S+Dobras (Brasília), Feira Tijuana (São Paulo), Carretel (Curitiba) e Parque Gráfico (Florianópolis). Formado e pós-graduado em jornalismo, atua há mais de uma década em variados veículos de comunicação, entre eles IstoÉ Dinheiro, El Economista América, Gazeta do Povo, R7 Jornal Cândido, entre outros. Venceu e foi finalistas de diversos prêmios, como o “Jovem Talento da Indústria do Livro”, “CNI de Jornalismo”, “Sebrae de Jornalismo”, entre outros. É autor de três livros, 42 Haicais e 7 Ilustrações (2014, Lote 42), A Agenda (2013, Novo Conceito) e Curitibocas: Diálogos Urbanos (2006, Coração Brasil). Publicará em 2018 o livro Videogame, A Evolução da Arte.

 

Oficina de leitura antirracista: “Eu, que sou exótica”: poética negra da diáspora/dissidência sexual como reação à dor”, com Tatiana Nascimento (DF)

4 fev 2018 (dom) – 14h às 17h. Vagas: 15

Inscrição pelo email negalilu@gmail.com até 26/1, informando dados pessoais e motivação para participar.

Nesse lab, ela apresenta poemas de algumas/alguns escritorxs de literatura negra LGBTQI contemporânexs: Kika Sena (AL), Victória Sales (SP), Marcelo Caetano (DF), Nina Ferreira (DF), Pedro Ivo (DF), tatiana nascimento (DF), estimulando construção coletiva, a partir da leitura e conversa, de ferramentas de compreensão, leitura e interpretação dessas obras, que assumam tanto seu viés deliberadamente político de funcionar como escritas da resistência aos sistemas de opressão quanto seu teor e valor literário.  Também a partir da explicitação dos extravasamentos estéticos/literários e/ou temáticos que fazem dessas obras literatura desde uma definição canônica (a qual também será debatida), não “só” discurso político.

Esta atividade tem como objetivo:

– Difundir obras de autorxs negrxs LGBT contemporânexs que abordam em suas obras interseccionalidades de raça, sexualidade, classe, gênero.

– Enfatizar a importância de leituras políticas complexas de textos considerados geralmente apenas como discurso político.

Explorar a inserção ativista/interseccional dos textos quanto a suas possibilidades literárias de romper estereótipos de sexualidade, raça, classe, gênero, e também de “literário”.

 

Tatiana Nascimento é escritora, educadora, artista da palavra falada, compositora. Editora-fundadora da padê editorial, que publica livros artesanais de autoras negras, lésbicas, transexuais. Integrante do Coletivo de Escritoras e Escritores da Literatura LGBT de Brasília/DF e Entorno – CEELGBT/DF.

 

 

 

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *