Fotos: Lu Barcelos

Caderno de receitas ancora pesquisa de patrimônio imaterial da Cidade de Goiás

Há 50 anos, Nádia Köller transformou o caderno de anotações da contabilidade da loja Irmãos Rocha Lima (1962), em um caderno de receitas. Ali ela registrou os segredos da Bala de Café da Edina, do Pastelinho da Babita, da Rosca da Dona Tula e mais de 200 outros pratos da culinária goiana, “motivo de intercâmbio, ciúmes, boicotes e homenagens”. Escrito pela psicanalista e pesquisadora Ana Christina da Rocha Lima e publicado pelo selo Eclea da Nega Lilu Editora, o livro Nádia Köller: memórias e receitas de Goyaz será lançado em 5 de dezembro (terça-feira), às 19 horas, no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia.

Com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás (FAC), a publicação se propõe a colaborar para a salvaguarda da memória e da identidade cultural do Estado, a partir de experiências gastronômicas. Segundo a autora, o resgate histórico se iniciou com a própria Nádia Köller, responsável pelos registros originais de saberes construído, cotidianamente, nas cozinhas que ela frequentava, na segunda metade do século passado. “As cozinhas eram o epicentro, o pulso da casa, o domínio do feminino”, ressalta Ana Christina.

Torta Jane

Tareco

Doce de Banana

Sem suspeitar sobre a relevância daquele registro, Nádia anotou receitas que compunham o cardápio de sua casa. Algumas delas, como o Pudim de Pão (tia Mariquita), existiam desde o século 19. Registrou também os pratos que ela criou ou aperfeiçoou, adicionando a eles títulos provocadores: Rosca Deliciosa, Bolo Primavera, Espuma Rosa, Leite D’Onça, assinando sempre com o pseudônimo que melhor a representava. Nádia Köller nasceu Agnaldo Fleury da Rocha Lima, em 16 de agosto de 1932, e foi biografada por Ana Christina, como uma mulher exemplar.

 

Herança cultural

Algumas receitas que agora vêm a público, por meio do livro, atravessaram séculos, herdadas como joias de família em cadernos escritos à mão. “Os cadernos eram guardados nos louceiros das cozinhas, manuseados com cuidado e cerimônia. Faziam parte dos enxovais e era herança cobiçada”, escreveu ela.

Pertencente à casa de Edina Fleury da Rocha Lima, mãe de Nádia, o antigo caderno chegou até a pesquisadora com as páginas supramanuseadas, amareladas e manchadas pelos ingredientes das tortas, bolos, biscoitos descritos ali. “O caderno de Nádia Köller guarda, nas entrelinhas, muito mais do que receitas”, comenta.

Para ela, Nádia Köller: memórias e receitas de Goyaz é também um relicário de afetos verdadeiros, com reconhecimento da relevância do matriarcado na antiga capital goiana, “unidas por uma teia particular − laços de parentesco, cumplicidades e rusgas − durante uma vida inteira”. Sendo assim, algumas autoras de receitas identificadas pela pesquisadora tiveram suas biografias publicadas no livro.

Pratos atribuídos às autoras biografadas foram executados para atualização de ingredientes e medidas, bem como para o registro fotográfico e audiovisual do trabalho de pesquisa. Para isso, Ana Christina da Rocha Lima estabeleceu parceria com a Associação das Mulheres Coralinas, instituição em atividade na Cidade de Goiás.

De acordo com a autora, revisitar as receitas na prática foi um passo importante para estimular a reapropriação desse patrimônio. “Agora restam poucas testemunhas do período a que o caderno de receitas de Nádia Köller se refere e poucas mestras que sabem executar um passo a passo, o mise en place, que faz toda a diferença no resultado final do prato”, argumenta.

Sobre a autora-pesquisadora

Ana Christina da Rocha Lima é psicanalista, ilustradora, designer e artista transmídia.

Estudou Belas Artes na Escola de Artes Veiga Valle, Cidade de Goiás, com Goiandira do Couto, e na Parson’s School of Design, em Nova Iorque. É membro do Núcleo Freudiano de Psicanálise em Goiânia, sob direção de Marcia Marina da Silva. Diretora da Casa da Cultura Digital e integrante do grupo de gestão da Casa de Cultura Attilio Zamperoni.

 

Fundadora da Ana de Hélios Criação, empresa dedicada à produção de projetos especiais em Design. Autora de capa de vários livros, entre eles Sem Palavras de Larissa Mundim e Valentina Prado (2013), O livro do Depois de Claudia Machado (2015) e da coletânea Rosarita Fleury – a grande romancista (2017). Ilustradora do livro infantil bilíngue e do filme de curta-metragem A invenção do João de Claudia Machado (2015) – selecionado para o 34º Art Film Festival de Asolo (Itália, 2015). Assina a direção de arte e produção da ópera L’Orfeo de Claude Monteverdi, montada em 2017, em Goiânia, com elenco internacional.

 

Serviço │ Lançamento

Livro: Nádia Köller: memórias e receitas de Goyaz, de Ana Christina da Rocha Lima

5 de dezembro 2017 (terça), 19 horas, Salão Dona Gercina, Palácio das Esmeraldas, Praça Cívica, Goiânia. Entrada Franca

 

Nádia Köller: memórias e receitas de Goyaz

Formato: 20,5 x 27,5cm

Capa dura, revestida com tecido e impressa em serigrafia

Valor de capa: R$ 60 (preço promocional de lançamento, R$ 50,00)

 

Ficha técnica:

Revisão: Vinícius Vargas

Tratamento: Larissa Mundim

Direção de arte: Ana Christina da Rocha Lima

Projeto gráfico e diagramação: Luana Santa Brígida

Fotografia: Lu Barcelos

Ilustração e capa: Ana Christina da Rocha Lima

Produção gráfica: Carlos Sena

Impressão: LL Gráfica

Edição: Nega Lilu Editora

 

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *