Leitura ao som de bolero

 

O protagonista do livro A morte de Silvério Reis: o causo do fim do amor inocente e suas desenvolturas, escrito por Abel Vargas, é goiano e cantor de bolero. Uma história contada do fim para o começo revela a trajetória de um homem sensível em busca de compreensão sobre os rumos da vida, a partir de sua cultura, afetos, decepções e conquistas. Premiado pelo Fundo de Arte e Cultura de Goiás, o romance ficcional foi publicado pela Nega Lilu Editora e será lançado no dia 16 de maio (quarta-feira), às 19 horas, na Livraria Palavrear, em Goiânia. Entrada franca.

Mais do que um livro, A morte de Silvério Reis é um projeto de artes integradas que contempla três linguagens: literatura, artes visuais e música. Com produção executiva e direção artística de Ana Christina da Rocha Lima, por meio da Ana de Helios Criação, o trabalho também conta com participação da dupla Bicicleta Sem Freio e do músico Pedro Zamboni, responsável   ypela produção musical do vinil encartado no livro.

A atmosfera boêmia da trama em torno do cantor de bolero inspirou o Bicicleta Sem Freio na criação de arte produzida especialmente para este projeto editorial. Douglas Pereira e Renato Reno são autores da exuberante capa, das ilustrações que pontuam a narrativa e dos posters encartados, compondo o combo que faz do livro um legítimo objeto do desejo.

Neste romance literário que é um convite para cantar e dançar, Silvério Reis é um personagem/veículo apaixonante, porque nos permite revisitar a potência e a paixão de olhar o mundo como da primeira vez. “Quem se permitir amar este cantor de bolero irá reviver o espanto, a dor, o amor, com uma intensidade que desperta, rejuvenesce e emociona”, diz Ana Christina da Rocha Lima.

Segundo ela, Silvério nos permite olhar para os dilemas e dores “deste parto incessante, que é viver, com uma ternura desconcertante”. Os flashbacks da infância, a relação com as mulheres e a música são seus principais portais. Para leitores e leitoras, o acesso ao universo da obra se dá a partir do tiro que acerta o peito do protagonista, logo na primeira página. Seria ele um Brás Cubas no início do século 21?

O autor tinha 20 anos quando escreveu a trama, que vem a público mais de uma década depois, revelando um autor iniciante com fluência de contador de história. E de maneira despretensiosa, o livro é capaz de provocar reflexões acerca da construção da masculinidade impactada pela cultura. Sobre isso, Silvério Reis comenta: “Lá em Goiás, dizia meu pai, ‘todo mundo tem que ser homem! Mulher tem que ser homem, homem tem que ser homem e viado tem que ser homem’. Simples e básico. A filosofia de uma vida comprimida em uma frase”.

Abel Vargas é brasileiro, nascido em Goiânia. Desde muito pequeno é fascinado por histórias, livros e filmes. “Paixão herdada da mãe”, confirma ele. Daí surgiu A morte de Silvério Reis e sua dedicação ao cinema. Atualmente, ele trabalha com efeitos visuais para filmes como “Pantera Negra”, “Velozes e Furiosos”, dentre outros blockbusters em Vancouver, Canadá, onde mora. “Continuo escrevendo roteiros, projetos de filmes e toco ukulele nas horas vagas”, comenta, se identificando com o cantor de bolero do livro.

A convite do autor, o músico e compositor Pedro Zamboni produziu o disco “Silvério Reis”. Os boleros disponíveis no compact disc alaranjado são composições de Abel Vargas (“O Sertão e a Bailarina”), Gustavo Veiga e Carlos Brandão (“Cá entre nós”) e Pedro Laba e Danilo Xidan (“Baila”). Outras canções que integram o projeto musical estarão disponíveis em mp3. Os músicos envolvidos na gravação do vinil são: Fred Valle (bateria), Carlos Marx (baixo), Fernando Mariri (guitarra), Evando Sampaio (teclado), Darlan Pires (percussão), com vocais de Pedro Laba e Bia Tavares (backing vocals)
SERVIÇO

Lançamento do livro: A morte de Silvério Reis: o causo do fim do amor inocente e suas desenvolturas

Editora: Nega Lilu – Selo Tuci

Valor promocional de lançamento: R$ 60,00

 

16 de maio 2018 (quarta) – 19 horas

Livraria Palavrear: Rua 232, 338, Setor Universitário

ENTRADA FRANCA

 

 

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *