Feira e-cêntrica de publicações independentes apoia inovação no mercado editorial brasileiro

Mais de 60 artistas gráficos, autores e autoras independentes, pequenas editoras e coletivos criativos de diversas partes do Brasil integram a feira e-cêntrica, nos dias 3 e 4 de fevereiro, na Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia. Expositores de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro apresentam, para público de todas as idades, seus livros especiais, histórias em quadrinhos, zines e artes gráficas. A programação gratuita inclui oficinas, cursos e bate-papos com escritores, editores e pesquisadores, além de lançamentos literários e uma edição especial do Sarau das Minas. Apoio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

A feira e-cêntrica é uma ação de apoio à inovação do mercado editorial. Realizado pela Nega Lilu Editora e pela Casa da Cultura Digital, o trabalho visa impactar a cadeia produtiva do livro de ponta a ponta: estimulando a leitura, formando novos autores, motivando a autopublicação e buscando circulação independente para a produção gráfica e literária.

“A qualificação de leitoras e leitores, a valorização da autoria, a atualização do papel das editoras e a busca de novos modelos de negócios estão entre os aspectos fundamentais para a inovação no mercado editorial”, defende a coordenadora da e-cêntrica, a escritora e editora Larissa Mundim.

Segundo ela, a estratégia da e-cêntrica passa também pelo combate à invisibilidade da produção gráfica e literária nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, pelo fortalecimento e ampliação da atuação de pessoas racialmente e sexualmente sub-representadas desta cadeia produtiva e pela busca de alternativas de difusão e comercialização da produção. Para além da feira de publicações independentes, o trabalho desenvolvido pela e-cêntrica pode ser conhecido em www.e-centrica.org .

Expositores
A coordenação da feira e-cêntrica, que tem curadoria de Larissa Mundim e da artista visual Sophia Pinheiro, prevê a participação de mais de 64 expositores, com presença majoritária de Goiás e do Distrito Federal. Entre outros trabalhos relevantes, destaque para a Lote 42 (SP), Padê Editorial (DF), Nega Lilu Editora (GO), Vulva Revolução (DF), Borogodó (SP), Art Foundry (DF), Jornal de Borda (SP), Selo Reverso (MG), CALLIB  ̶̶  Coletivo de Autoras de Literatura Infantil e Infantojuvenil da Bahia (BA), kza1 (RJ). No sábado, a exposição de livros, zines, HQs, artes gráficas e periódicos culturais ocorrerá entre 15h e 21h e, no domingo, de 14h às 20h, na Vila Cultural Cora Coralina, local onde todas as atividades de formação também estão concentradas.

Os 64 expositores representam trabalhos de GO, DF, SP, BA, MG e RJ na feira e-cêntrica.

Os trabalhos se iniciam com a Oficina literária para jovens: estímulos para leitura e escrita criativa, no sábado (3/2), às 9 horas, com a pesquisadora e escritora Micheline Lage (GO). A atividade busca despertar e fortalecer o interesse pela leitura e pela escrita criativa a partir de linguagens artísticas diversas, como a música, as fotografia.

A autopublicação é a essência da Oficina de zine, marcada para o sábado (3/2), às 9 horas, com a artista visual Beatriz Perini (GO). Para além da produção de conteúdo gráfico e literário, a atividade apresenta maneiras criativas e autônomas de difusão de ideias. Os zines são os antigos fanzines, publicações produzidas com baixo custo, pequena tiragem e grande potencial de comunicação.

Oficina de zine estimula à autopublicação e não pode faltar nas feira de publicações independentes.

A escritora gaúcha Angélica Freitas conduz o laboratório poético, no sábado e no domingo, entre 14h e 17h, uma das atividades mais aguardadas pelos poetas locais. A proposta é compartilhar estratégias para criar um espaço de experimentação, com prática de escrita. “Poesia é uma coisa meio misteriosa: a gente nunca sabe quando vai escrever um poema. Um verso pode aparecer no meio do trânsito, numa reunião de trabalho, quando estamos tomando um sorvete na praia. Capturar esse verso e dar continuidade ao poema é uma das tarefas de poetas”, comenta ela.

Para editoras e para pessoas interessadas em publicar livros, o curso de 6 horas/aula sobre Projeto Editorial será ministrado, das 14h às 17h, em dois dias, pelo coordenador editorial da Lote 42, João Varella (SP). A partir de sua experiência, o escritor e editor compartilha conhecimentos sobre o processo de criação do livro: desde a avaliação de originais até o acompanhamento da produção gráfica, discutindo inclusive os desafios de circulação. “Temos uma expectativa muito positiva de que este trabalho com as editoras independentes fortaleça provocações que vêm sendo alavancadas pela Nega Lilu Editora em Goiás”, comenta Larissa Mundim.

A poeta Tatiana Nascimento conduz uma atividade de leitura anti-racista, no domingo (4/2), às 14 horas. A oficina “Eu, que sou exótica: poética negra da diáspora/dissidência sexual como reação à dor” tem como objetivo difundir obras de autorxs negrxs LGBT contemporânexs que abordam em suas obras interseccionalidades de raça, sexualidade, classe, gênero. E ainda: e enfatizar a importância de leituras políticas complexas de textos geralmente considerados como discurso político apenas. As vagas desta atividade foram prioritariamente distribuídas entre negras, índias e LGBTQIs inscritos.

Ao todo, 128 estudantes, profissionais e pesquisadores estão inscritos para as oficinas e cursos gratuitos, a serem realizados no sábado e domingo, na Vila Cultural Cora Coralina. Segundo a organização da feira, quase 200 pessoas interessadas se inscreveram no processo seletivo, entre 10 e 26 de janeiro. “Quem não foi selecionado para curso e oficina ou quem não chegou a se inscrever, ainda pode participar dos bate-papos abertos ao público”, recomenda a coordenadora da e-cêntrica.

Bate-papos
“Além das letras − o poder das leituras afetivas e partilhadas” é o título do bate-papo que será conduzido pela escritora Alessandra Roscoe (DF), às 14 horas. Para educadores, leitores, contadores de histórias e público em geral, ela traz a experiência do Festival Itinerante de Leitura – Uniduniler todas as letras que, em 2016, foi reconhecido pelo Cerlalc /Unesco como uma das melhores práticas de incentivo à leitura para a primeira infância na América Latina e Caribe. Quem estiver presente neste bate-papo também conhecerá os impactos do projeto no dia a dia da população encarcerada, idosos, pessoas com deficiências, hospitalizadas ou em situação de vulnerabilidade social.

Projeto Uniduniler: leitura para uma vida melhor

O Mulherio das Letras, mobilização nacional para ampliação e fortalecimento da participação da mulher na cadeia produtiva livreira, tem reunião regional marcada para o sábado (3/2), às 16 horas, com participação de escritoras, ilustradoras, editoras e outras realizadoras de Goiás e do Distrito Federal. O movimento criado pela escritora Maria Valéria Rezende (PB) se prepara para o segundo encontro nacional e a reunião marcada durante a feira e-cêntrica tem como objetivo organizar a representação do Centro-Oeste nas discussões comuns em todo o Brasil.

A atuação da mulher na cadeia produtiva literária é o assunto que abre o debate que será conduzido, às 18 horas, pela professora da UnB, Regina Dalcastagnè, autora da pesquisa que embasa a maioria dos estudos de gênero e literatura no Brasil. Também participam da roda de conversa as pesquisadoras Maria Clara Dunck (Leia Mulheres), Carol Piva (Mulherio das Letras GO), Alessandra Roscoe (Mulherio das Letras DF), além da escritora Angélica Freitas.

Ao final do primeiro dia de trabalho, a feira e-cêntrica promove três lançamentos, a partir das 21 horas, na Livraria Palavrear, no Setor Universitário. A quadrinista LoveLove6 (DF) lança o livro “Gastrite nervosa” (Coleção Des. Gráfica), juntamente com Rosângela Vieira (“O indizível sentido do amor”, Editora Patuá) e Angélica Freitas, que lança segunda edição do badalado “Um útero é do tamanho de um punho”, pela Companhia das Letras.

Domingo
Além da oficina de leitura anti-racista e da continuação das atividades do Laboratório Poético e do curso Projeto Editorial, a feira e-cêntrica realiza, no domingo (4/2), um dos bate-papos mais importantes do programa: “Estratégias alternativas de circulação da produção gráfica e literária independente”, roda de conversa conduzida pela escritora e editora Larissa Mundim (Portal e-cêntrica), com participação do produtor cultural e escritor Márcio Júnior (MMarte Produções), o fundador da Banca Tatuí (SP), João Varella (Lote 42 Editora) e o livreiro Wilson Rocha (Palavrear).

Para o encerramento de intensas atividades, a segunda rodada de lançamentos reúne as poetas Luiza Romão, que traz o seu “Sangria”, e Tatiana Nascimento que autografa “lundu,”. As duas confirmaram participação especial no Sarau das Minas GO, coordenado ela atriz e escritora Carol Schmid, a partir das 19 horas. O palco e o microfone estarão abertos para a expressão artística de mulheres, os homens são convidados como plateia.

 

PROGRAMAÇÃO
3 de fevereiro (sábado)

9h às 12h – Oficina literária para jovens: estímulos para leitura e escrita criativa, com Micheline Lage. Vagas: 30

9h às 12h – Oficina de zine, com Beatriz Perini. Vagas: 30

14h às 17h – Laboratório poético, com Angélica Freitas. Vagas: 25

14h às 17h – Curso Projeto Editorial, com João Varella (Lote 42 Editora). Vagas: 40

14h às 16h – Bate-papo: “Além das letras − o poder das leituras afetivas e partilhadas”, condução de Alessandra Roscoe sobre o Festival Itinerante de Leitura – Uniduniler todas as letras

15h às 21h – Feira e-cêntrica: livros especiais, zines, HQs, artes gráficas. Expositores: 64

16h às 18h – Mulherio das Letras 2018: reunião de pré-produção do encontro regional (Centro-Oeste)

18h – Bate-papo: “A atuação da mulher na cadeia produtiva literária”, condução de Regina Dalcastagnè (UnB), com participação de Leia Mulheres (Maria Clara Dunck), Mulherio das Letras e Angélica Freitas

21h – Lançamentos: “Um útero é do tamanho de um punho” (Angélica Freitas – Cia. das Letras), “Gastrite Nervosa” (LoveLove6 – Coleção Des.Gráfica) e “O indizível sentido do amor” (Rosângela Vieira – Patuá)

4 de fevereiro (domingo)

14h às 17h – Laboratório poético, com Angélica Freitas. Vagas: 25

14h às 17h – Projeto Editorial, com João Varella (Lote 42 Editora). Vagas: 40

14h às 20h – Feira e-cêntrica: livros especiais, zines, HQs, artes gráficas. Expositores: 64

14h – Oficina “Eu, que sou exótica: poética negra da diáspora/dissidência sexual como reação à dor”, com Tatiana Nascimento (DF). Vagas: 15

17h – Bate-papo: “Estratégias alternativas de circulação da produção gráfica e literária independente”, condução de Larissa Mundim (Portal e-cêntrica), com participação de Márcio Júnior (MMarte Produções), João Varella (Banca Tatuí-SP) e Wilson Rocha (Livraria Palavrear)

18h30 – Lançamentos: “Sangria” (Luiza Romão) e “lundu,” (Tatiana Nascimento – Padê Editorial)

19h às 21h – Sarau das Minas GO, com participação especial de Luiza Romão e Tatiana Nascimento. Coordenação: Carol Schmid

 

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *