Publicação de LoveLove6: "Gastrite nervosa" (2018)

Leitura & Resistência: dez dias de militância pelo Livro e pela Literatura

Leitura & Resistência é uma ação de estímulo à leitura e à formação de leitores e de escritores. Entre 4 e 14 de fevereiro, em Goiânia, uma intensa programação gratuita mantém na pauta da cidade discussões sobre o Livro, aspectos de inovação no mercado editorial, a produção gráfica e literária no Brasil. Com apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, este evento realizado pela NegaLilu Editora e pela Casa da Cultura Digital também promove a segunda edição da feira e-cêntrica de publicações independentes, nos dias 9 e 10 de fevereiro, na Vila Cultural Cora Coralina.

Sob a coordenação da professora e pesquisadora Micheline Lage (IFG Goiânia) e da escritora e jornalista Larissa Mundim, o projeto foi concebido a partir de diretrizes do Plano Nacional de Leitura e Escrita (PNLE). Sancionada em 2018, a legislação orienta políticas públicas reconhecendo que a capacidade de leitura e de escrita são ferramentas estruturantes para o desenvolvimento pleno do potencial humano e para a expressão da diversidade cultural.

Os estudos que subsidiam a elaboração do PNLE (e do PNLE – Plano Nacional do Livro e da Leitura) ainda ressaltam que ler e escrever favorece o intercâmbio entre povos, o alcance de níveis educativos mais altos, entre outras variáveis importantes para o avanço social e econômico da Sociedade. “A formação de leitores e o estímulo à leitura são ações urgentes e estratégicas para o Brasil”, defende Micheline Lage.

Neste contexto, o Leitura & Resistência se inicia com a intervenção urbana #PovoQueLê, na confluência entre as Avenidas Araguaia e Anhanguera, em frente à loja Fujioka. O ato público organizado pelo Coletivo e/ou é uma vigília de 24 horas de leitura, 12 horas na segunda (4/2) e mais 12 horas na terça (5/2), entre 7h e 19h, no Centro de Goiânia.  Durante o ato público, também haverá a divulgação de dados da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”.

Esta pesquisa realizada pelo Instituto Pró-Livro e divulgada em 2016 também é tema da palestra do professor Rildo Cosson (DF), com mediação de Micheline Lage (IFG-GO), no dia 8 de fevereiro (sexta), às 14 horas, no Centro Cultural UFG. A quarta edição da “Retratos da leitura no Brasil” constata que o Brasil tem 104,7 milhões de leitores, cerca de 56% da população brasileira, que agora se aproxima de 207 milhões de habitantes. Entre outros aspectos da pesquisa, chama a atenção o fato de que mais da metade destes leitores declaram ler apenas um livro: a Bíblia.

A leitura é também o tema condutor do minicurso que será ministrado pela escritora e professora Ana Elisa Ribeiro, no dia 6 de fevereiro (quarta), às 18h30, no Centro Cultural UFG. “Leitura ontem e hoje: modelos, suportes, tecnologias” pode interessar aos pais e mães atentos aos impactos da cibercultura na vida de seus filhos.

Ana Elisa Ribeiro: escritora e pesquisadora. Foto: Adamo Alighieri

De acordo com Ana Elisa Ribeiro, o minicurso trata das práticas de leitura atuais inseridas em um contexto de mudança e diversidade tecnológica, assumindo um ponto de vista conciliador e criativo. Não excludente do leitor cego e de baixa visão. Atividade destinada também a coordenadores pedagógicos, professores, bibliotecários, estudantes e interessados na formação de leitores.

Bibliotecas e livrarias

“Não existirá uma política pública séria e eficaz para o Livro, para a Leitura e para a Escrita, sem dedicação à formação de leitores desde a Educação Infantil e também dedicado à qualificação de leitores de todas as idades”, defende Larissa Mundim, uma das coordenadoras do Leitura & Resistência. A essência desta discussão atravessa o bate-papo “Melhores práticas de gestão e dinamização de bibliotecas”, no dia 12 de fevereiro, às 15 horas, no Centro Cultural UFG. A atividade reúne gestores de bibliotecas públicas e privadas de Goiânia, além de mediadores de leitura e contadores de histórias.

Como grandes aliadas na difusão da leitura, as livrarias também participam deste fórum de discussão instalado pelo Leitura & Resistência. No dia 9 de fevereiro (sábado), às 16 horas, na Vila Cultural Cora Coralina, está marcada a roda de conversa “Livrarias de rua como espaço de resistência e transformação social”, com a participação da Avoar Livros, Mandrake Comic Shop, Livraria Leodegária, Livraria Palavrear, Pomar Livraria, durante a feira e-cêntrica.

Livraria Palavrear, em Goiânia. Foto: Layza Vasconcelos

“Evidências de inovação no mercado editorial” é outro bate-papo que aborda de forma complementar as discussões sobre o livro, a leitura e a escrita, que motivam a realização deste evento. Esta roda de conversa está programada para 10/2 (domingo), às 16 horas, na Vila Cultural Cora Coralina, também durante a feira e-cêntrica. Os editores convidados são os seguinte editores: João Varella (Lote 42, SP), Larissa Mundim (NegaLilu, GO), Lucas Gehre (LTG, DF) e Rachel Gontijo (A Bolha, DF).

Rachel Gontijo: fundadora da Editora A Bolha, Foto: Leandro Agliaro

Além dos momentos discursivos promovidos pelo Leitura & Resistência, o programa prevê visita técnica ao Ateliê Tipográfico da UFG, no Campus 2, no dia 14/2, às 14 horas. Na ocasião, o grupo visitante compartilha ideias sobre “Técnicas de impressão: resgate do fazer analógico e artesanal para a produção gráfica-literária”, com o diretor do CEGRAF, Antonio Corbacho Quintela.

Oficinas

As oficinas que tiveram inscrições abertas entre 11 e 30 de janeiro são seis, contemplando capacitação e qualificação profissional nas áreas de revisão, escrita criativa, artes visuais e autopublicação. Esta agenda de atividade prática se inicia com a “Oficina de Revisão do texto literário: leituras, liberdades e licenças”, conduzida pela escritora e professora mineira Ana Elisa Ribeiro, no dia 7 de fevereiro, às 9 horas, no Centro Cultural UFG.

“Nem todas as cartas de amor são ridículas – oficina de autodeclaração de amor a (m)eu corpo abjetificado” é o título do trabalho proposto pela poeta e editora Tatiana Nascimento (DF), no sábado (9/2), às 9 horas, no Sindicato dos Jornalistas de Goiás. No mesmo local, às 14 horas começa a Oficina de criação poética “Erotismos, atravessamentos e afetos: outras narrativas, outras vozes no tecido textual”, com a poeta e professor Cristiane Sobral (DF).

Tatiana Nascimento: poeta e fundadora da padê editorial. Foto: Juh Almeida

O artista visual Luiz Antena compartilha conhecimentos sobre a linogravura  (ou linoleogravura), que é um processo de gravura muito semelhante à xilogravura (gravura em madeira). Durante a oficina marcada para o domingo (10/2), às 14 horas, na Vila Cultural Cora Coralina, ele orienta os participantes sobre processo de impressão, desde a criação da matriz da linogravura até sua aplicação no papel.

A cidade como oráculo, o caminhar como leitura, o corpo como um lugar no mundo, esta é a trilha que orienta as práticas da Oficina “Autoetnografia desenhada: a experiência corpo-lugar”, conduzida pela artista visual goiana Sophia Pinheiro, residente no Rio de Janeiro. “Em poucas horas, vamos iniciar um processo de investigação sobre a relação entre os desenhos e a autoetnografia”, prevê a instrutora, doutoranda na área de Antropologia pela UERJ.

Fechando a programação, os psicólogos e zineiros Rico Lopes e Delza Eloy (GO) conduzem a Oficina Publique-se, que introduz técnicas criativas para produção de zines, os antigos fanzines. Com 6 horas de duração, a atividade será realizada nos dias 12 e 13 de fevereiro, das 14h às 17h, no IFG (em frente ao Mutirama).

Feira e-cêntrica

Mais um destaque do Leitura & Resistência é a feira e-cêntrica de publicações independentes que, este ano, reúne 76 expositores de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Livros especiais, zines, periódicos culturais e artes gráficas estarão sendo comercializados por editoras independentes, selos literários, coletivos criativos e artistas visuais. A curadoria é de Larissa Mundim e de Sophia Pinheiro, que coordenaram processo seletivo de expositores entre 14 de novembro e 24 de dezembro, com mais de 200 inscrições de todo o Brasil.

A feira e-cêntrica 2019 conta com 76 expositores. Foto: Layza Vasconcelos

Lançamentos literários

Durante a feira, haverá lançamentos literários, sempre às 18h30, com autores de Goiás e de outros estados: Ademar de Queiroz (O baú do Menino Deus), Cristiane Sobral (Tainá e Uma boneca no lixo), Movimento Respeita (São nossas as notícias que daremos), Augusto Rodrigues Niemar (Poemas da rua do fogo), Chyntia Barcellos (Fatos, afetos e preconceitos: uma história de todos os dias) e Tarso de Melo (Alguns rastros).

O Sarau das Minas GO também está previsto, no domingo (10/2), a partir das 19h30, com coordenação de Carol Schmid. Criando ambiência para a visitação da feira, DJ Perini toca vinil, a praça de alimentação oferece opção vegana e o bar Apeia e Cola estará aberto durante todo o dia.

Sarau das Minas GO: encerramento da feira e-cêntrica, em 2018. Foto: Layza Vasconcelos

PROGRAMAÇÃO

SEG (4/2) e TER (5/2) – 7h às 19h

#PovoQueLê: 24h de leitura. Intervenção urbana. Av. Anhanguera com Av. Araguaia, Centro.

QUA (6/2) – 18h30, Centro Cultural UFG

Minicurso: Leitura ontem e hoje: modelos, suportes, tecnologias, com Ana Elisa Ribeiro (MG).

QUI (7/2) – 9h, Centro Cultural UFG

Oficina: Revisão do texto literário: leituras, liberdades e licenças, com Ana Elisa Ribeiro (MG).

SEX (8/2) – 14h, Centro Cultural UFG

Mesa redonda: Análise da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, com Rildo Cosson (DF) e Micheline Lage (GO)

SÁB (9/2) – 9h, Sindicato dos Jornalistas de Goiás

 Oficina: Nem todas as cartas de amor são ridículas – oficina de autodeclaração de amor a (m)eu corpo abjetificado, com Tatiana Nascimento (DF)

10h às 20h, Feira e-cêntrica de publicações independentes. Vila Cultural Cora Coralina

14h, Oficina de Criação poética: Erotismos, atravessamentos e afetos: outras narrativas, outras vozes no tecido textual, com Cristiane Sobral (DF). Sindicato dos Jornalistas

16h, Roda de conversa: “Livrarias de rua como espaço de resistência e transformação social”. Com Avoar Livros, Livraria Leodegária, Livraria Palavrear, Mandrake Comic Shop e Pomar Livraria. Vila Cultural Cora Coralina

18h30, Lançamentos literários: Ademar de Queiroz (O baú do Menino Deus), Cristiane Sobral (Tainá e Uma boneca no lixo) e Movimento Respeita (São nossas as notícias que daremos). Vila Cultural Cora Coralina

DOM (10/2)

10h às 20h, Feira e-cêntrica de publicações independentes. Vila Cultural Cora Coralina

14h, Oficina: Gravura em linólio, com Luiz Antena. Vila Cultural Cora Coralina

16h, Bate-papo: “Evidências de inovação no mercado editorial”, com João Varella (Lote 42, SP), Larissa Mundim (NegaLilu, GO), Lucas Gehre (LTG, DF) e Rachel Gontijo (A Bolha, DF/RJ). Vila Cultural Cora Coralina

18h30, Lançamentos literários: Augusto Rodrigues Niemar (Poemas da rua do fogo), Chyntia Barcellos (Fatos, afetos e preconceitos: uma história de todos os dias) e Tarso de Melo (Alguns rastros). Vila Cultural Cora Coralina.

19h30, Sarau das Minas GO. Condução: Carol Schmid. Vila Cultural Cora Coralina

SEG (11/2) – 14h, Oficina: Autoetnografia desenhada: a experiência corpo-lugar, com Sophia Pinheiro (GO/RJ). Pomar Livraria

TER (12/2) – 14h, Oficina de zine: Publique-se (parte 1), com Rico Lopes e Delza Eloy. IFG Goiânia

15h, Bate-papo: “Melhores práticas de gestão e dinamização de bibliotecas”, com gestores de bibliotecas, estudantes, mediadores de leitura, contadores de história. Centro Cultural UFG

QUA (13/2) – 14h, Oficina de zine: Publique-se (parte 2), com Rico Lopes e Delza Eloy. IFG Goiânia

QUI (14/2) – 14h, Visita técnica e roda de conversa: “Técnicas de impressão: resgate do fazer analógico e artesanal para a produção gráfica-literária”. CEGRAF-UFG

Endereços:

Centro Cultural UFG: Av. Universitária, 1533, St. Universitário

Sindicato dos Jornalistas de Goiás: Av. Anhanguera, 5389, Edifício Anhanguera, Centro

Vila Cultural Cora Coralina: Rua 3, s/n, Centro (atrás do Teatro Goiânia)

Pomar Livraria: Rua 132-A, 94, Setor Sul (próximo ao Clube de Engenharia)

IFG Goiânia: Rua 75, 46, Centro (em frente ao Mutirama)

CEGRAF: Campus Samambaia, UFG

Comentar

Comentários (0)

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será revelado. Os campos obrigatórios estão marcados com *